quarta-feira, dezembro 31, 2008

Balanço 2008

O ano está a terminar e como fiz o ano passado, deixarei um conjunto de pontos positivos e negativos deste ano, na minha vida. Mas em geral, foi um ano positivo :)

- Conheci 3 pessoas, pessoalmente, que viriam a ensinar-me muito do que sei; que me ajudariam a transformar na pessoa que sou actualmente.
- Uma delas, caiu na minha vida por afinidade. Fez-me rir (muito), abraçou-me, enxugou-me as lágrimas, deu conselhos, fez-me uns penteados malucos, acolheu-me como um membro da família, deu um novo sentido á palavra "irmã mais velha". Obrigada S. por tudo.
- A segunda, já fazia parte da minha vida, mas só este ano tive o prazer de estar frente a frente com ela. Passamos uma semana inesquecível. Gargalhadas, brincadeiras, histórias, fotografias, shots, karaoke, passeios, entre muitas outras coisas. Foi bom, passado "tanto" tempo, deixar o abraço virtual de lado e sentir o verdadeiro. Obrigada C, por estares sempre lá.
- A terceira, proporcionou-me os melhores 9 meses da minha vida. Ensinou-me que o amor, realmente existe. Que os olhares e sorrisos que trocamos; que o carinho que demos; que as lágrimas que limpamos; que todos os momentos que vivemos; com a pessoa que amamos, é inexplicável. E que o tempo e a distância são relativos, há coisas que nunca se esquecem. Obrigada por me teres mostrado que é realmente possível ter tudo isso, T.
- Outro dos pontos positivos, foi ter chegado á conclusão que por muitos obstáculos que passemos nas nossas vidas, a N. e a C., continuarão a fazer parte da lista de melhores amigas. Daquele tipo de amigas que já não conseguimos encontrar. Aquelas em quem confiamos de olhos fechados. Obrigada meninas.
- Sinto que cresci mais neste ano, do que nos últimos 18 (nem falo a nível físico porque duvido que haja mais alguma coisa para crescer lol). Mesmo que para os outros, certas atitudes, tenham sido absolutamente normais, tenho noção de que á algum tempo atrás, não era capaz de fazer muitas das coisas que fiz este ano. Arrisquei mais. Deixei o lado tímido e reservado de lado, uma vez por outra. Infelizmente, dei demasiada atenção aos que os outros disseram (ponto a alterar). Posso finalmente, afirmar que sei o que é amar.
- Fiz piqueniques. Dei valor a certas músicas. Outras perderam-no. Escrevi textos. Fiz vídeos. Enviei alguns dos meus textos a uma editora (e fui muito crente, quando esperei obter algum tipo de resposta, que só por acaso, nunca chegou). A Luna, é a cadela mais anti-social que conheço. Passei por um periodo de abstinência á batata frita e ás salsichas (pvt jk). Os suzuki swift cinzentos, fazem-me sorrir. Os rolos de papel higiénico também (pvt jk).
- Faço parte de um fórum LGBT madeirense, onde já conheci pessoas fantásticas, que me têm ajudado imenso. Obrigada pelos conselhos, pelas gargalhadas, pelos cafés, pelos convívios, pelo jantar (lol).
- Sei que não foi fácil estar na vossa posição e apoiar os dois lados. (Obrigada pelos conselhos J. e V.)
- Dei passeios sem destino; ri-me das figuras que as pessoas fazem a tirar fotografias debaixo da árvore de Natal 'metálica' que se encontra no caís; olhei para muitas das luzes que enfeitam o Funchal e dei-lhes diferentes designações; tentei evitar o café, mas chego á conclusão que ando a beber cada vez mais; passei de evitar certas conversas a falá-las com a maior das normalidades. Por isto e por muitas conversas/brincadeiras, conselhos, paciência e pachorra. (obrigada V.)
- Levei uma (aproveitando a expressão) "Chapada sem mão", de uma pessoa por quem era capaz de fazer tudo. Traduzindo, perdi uma amizade de anos, por falta de maturidade. Aproveitando outra expressão "Só damos valor quando perdemos". Parece que há pessoas que só assim é que conseguem acordar para a vida e aprender com os erros. Que o próximo ano, traga uma quantidade suficiente de maturidade a muita gente.
- Infelizmente, os tais 9 meses, foram apenas 9 meses. Como tudo, as coisas começam e acabam, sejam em que circunstâncias forem. Aconteça o que acontecer, passem as pessoas que passarem pelas nossas vidas, sei em antemão que o seu cantinho em mim, ficará sempre marcado. Começo a me aperceber com o passar do tempo, que a pouco e pouco, sou capaz de olhar para trás e "não chorar porque terminou mas a sorrir porque aconteceu". Porque apesar de inicialmente, sentir um misto de mágoa, raiva, ódio, tristeza, e ter derramado muitas lágrimas, o tempo começa a mostrar que precisamos de cicatrizes para nos ensinarem a sobreviver. Sei que voltaria a fazer tudo outra vez porque apesar de tudo, foi a melhor coisa que me aconteceu.
- Infelizmente, Portugal continua sem aceitar os casamentos as uniões civis entre homossexuais.
- A nível de economia, estamos cada vez piores. A crise parece que veio para ficar.


Que 2009, seja um ano de concretizações para todos vós.

*

1 comentário:

N. disse...

E com este texto trazes-me um misto de nostalgia. Por ter tido a honra e o privilégio de te ter acompanhado neste, agora passado, 2008. Obrigada pela parte que me toca. Obrigada pela inigualável amizade.

Existem coisas pelas quais vivemos. E uma delas, senão a maior, é o amor. É a maior das nossas forças. É a razão pela qual existe vida. Porque tudo aquilo que procuramos é amar e sermos amados. E o fim deste não nos deve remeter para a não-vida. Mas para a crença de que somos postos em prova para a conquista do "jamais vu" da mesma. Para a crença de que somos capazes. Para a crença de que existe um conformismo um tanto quanto desencadeador de um futuro igualmente ou melhor do que uma felicidade vivida outrora.

PS- Não sei até que ponto a crise Económica será má. Aquando da sua não existência, o meu posto será a do desemprego.

PS- Um bom ano. Desejo, verdadeiramente, que todos os teus sonhos se concretizem.

:)